Dr. Micro estará presente em debate no Rio sobre o papel das lan houses na capacitação de pessoas para a copa e olimpíadas

O circuito de eventos “Bate Papo com Lan Houses”, que percorre as principais capitais brasileiras, chega ao Rio de Janeiro no dia 10 de dezembro,sábado, para debater sobre oportunidades para os donos de lan houses na oferta de cursos de capacitação para a copa do mundo e olimpíadas. As inscrições são gratuitas, limitadas e podem ser realizadas na internet através do endereço tinyurl.com/bplanhousesrj

Conforme estimativas da Ernest & Young, em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV) o fluxo turístico para os dois grandes eventos seria responsável por receitas adicionais na ordem de R$ 6 bilhões para as empresas brasileiras, caso sejam aproveitadas as oportunidades geradas. Esta perspectiva cria a necessidade de capacitação de pessoas e dos empreendimentos para atender a forte demanda que estar por vir. É neste cenário que a reestruturação das lan houses como centros de inclusão digital na oferta de cursos de capacitação já começam a abocanhar sua fatia
deste montante.

Os debates ocorrem no Clube de Engenharia do Rio de Janeiro, na avenida Rio Branco, 124 no auditório do 22o andar. O evento tem o apoio do SEBRAE/RJ e reúne as principais empresas de internet que trabalham com produtos e serviços para lan houses, como Microsoft, VostuPag, BoaCompra, PayMentez, CDI Lan, Dr.Micro, WebAula, Itautec e NexCafé Continuar lendo

Para nós, o 7 é a confirmação da evolução

Desde 2004, inovamos o mercado do ensino profissionalizante: Foram mais de 500 mil alunos atendidos, em mais de 200 instituições. Em 2.770 municípios contabilizamos 3,3 milhões em horas de cursos ministrados.

E aos sete anos, acreditamos que podemos ainda mais! Mais profissionais formados, mais ensino de qualidade, mais tecnologia e acima de tudo, mais esperança em um futuro cada vez melhor.

7 é o número da mudança. Você faz parte dela.

Muito obrigado.

ATN Divulga os ganhadores do Prêmio Telecentros Brasil 2011

A Associação Telecentro de Informação e Negócios – ATN e a Comissão Julgadora do Prêmio Telecentros Brasil, composta por representantes do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ministério de Minas e Energia, SEBRAE Nacional, Grupo TICKET, Intelbras, Dr. Micro, Secretaria de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal, reuniram-se na última terça-feira, 11 de outubro de 2011, às 15 horas na sala dos Conselhos do Ministério da Ciência e Tecnologia para os trabalhos de análise e julgamento dos projetos concorrentes à edição 2011 do Prêmio.

Entre várias e excelentes propostas, a Comissão elegeu os ganhadores das cinco categorias (Alfabetização Digital, Orientação e Capacitação, Inovação em Sustentabilidade, Melhores Práticas Socioambientais e Personalidade do ano em Inclusão Digital) da edição 2011 do Prêmio Telecentros Brasil.

Os agraciados foram:

Categoria Alfabetização Digital: Telecentro de Informação e Negócios da Prefeitura Municipal e Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Xinguara/PA.

Categoria Orientação e Capacitação: Telecentro CEACA VILA – Rio de Janeiro/RJ.

Categoria Inovação e Sustentabilidade: Telecentro Instituto de Desenvolvimento Sócio Ambiental Araçá Mirim – Lençóis/BA.

Categoria Melhores Práticas Socioambientais: Centro Vocacional Tecnológico de Patos de Minas – Patos de Minas/MG.

Categoria Personalidade do ano em Inclusão Digital: Foi agraciado o Senhor Cid Torquato, Coordenador de Relações Institucionais da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo, pela excelência e importância de seus trabalhos para a inclusão digital e social do país. Cid Torquato é advogado formado pela Universidade de São Paulo, com especialização em Direito Empresarial. Fundou a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, que dirigiu até 2006. Como consultor, especializado em economia digital, trabalhou para instituições nacionais e internacionais, como SEBRAE, APEX, Softex, Banco Mundial, BID, Unctad, Mercosul e outras, além de editar três livros de artigos, colaborar como fonte e articulador de diversas publicações. Cid Torquato apresenta ainda, programas nas rádios Eldorado e CBN, bem como participa como palestrante de eventos no Brasil e exterior.

A data para realização da solenidade de entrega da premiação ainda será agendada e ocorrerá no Ministério de Ciências e Tecnologia – MCT.

Os agraciados serão contactados pela ATN nos próximos dias. Outras informações adicionais podem ser obtidas pelos telefones (061) 3965-3309 ou (061) 3965-3399.

Atenciosamente,
José Avando Souza Sales
Associação Telecentro de Informação e Negócios
Diretor Geral
Fonte: www.atn.org.br

Patrocinadores:

Patrocinadores Prêmio Telecentros Brasil 2011

Jornadas Internacionales #Telecentros Latinoamericanos

A Dr. Micro esteve presente no encontro que discutiu:

“Os telecentros como um crescimento e desenvolvimento socioeconômico” entre os dias 13 e 16 de setembro em São Paulo.

As apresentações das Jornadas Internacionales #Telecentros Latinoamericanos y España realizado na Sede da Oxigênio encontram-se disponíveis abaixo.

Apresentações das Jornadas Internacionales #Telecentros Latinoamericanos y España realizado na Sede da Oxigênio.

Apresentações:

Videos


Jornadas Internacionales #Telecentros Latinoamericanos

Campanha Mulheres nos Telecentros

Prezadas Gestoras de Telecentros

A Fundação Telecentre.org, uma ONG internacional da qual a ATN faz parte, lançou recentemente a campanha Mulheres nos Telecentros: Alfabetização Digital, que visa a premiar Gestoras de Telecentros que mais têm se destacado na atuação junto a outras mulheres.

Quem estiver interessada em participar deve preencher o formulário em espanhol que se encontra aqui neste link. Onde consta Nombre de la Red Asociada de Telecentros (si existiera): escrever ATN.

Após preenchido o formulário deverá ser enviado até 30.09.2011 para women@telecentre.org

Fonte: www.atn.org.br

Como iniciar a oferta de cursos em sua Lan House?

Falo a respeito da entrega de conteúdos educacionais da Dr. Micro e sobre o portal de emprego vejameucurriculo.com.br.

Sobre a Dr Micro, nós disponibilizamos no programa um catálogo amplo, em especial na área de treinamento em software, do básico (Windows, Office) até o recém lançamento Técnicas em Programação, além dos cursos profissionalizantes como o Assistente Administrativo. Todos estes citados pelo valor de R$ 12,00 por curso, o que no varejo é comercializado para o aluno estudar em casa a partir de R$ 50,00 e para estudar em seu espaço físico com um monitor apoiando-o, este mesmo valor chega a média de R$ 150,00.

Portanto estamos falando de uma margem que poderá ser de 4 a 10 vezes maior que o preço de compra. Isso somente é possível porque os cursos da Dr Micro são sempre disponibilizados com o intuito do parceiro na ponta, neste caso sua lan house, poder agregar o real valor ao usuário final, o aluno. Este valor agregado é o seu espaço físico, seu monitor, seu serviço de impressão do certificado e sua logística de venda, facilitada pelo programa Juntos Podemos Mais, mas substancial é seu apoio e portanto sua margem financeira também entendemos como necessária ser maior.

Todavia sabemos que se você ainda não atua em Educação através de sua Lan é necessário um passo anterior a abertura das vendas do produto. É fundamental fazer sua comunidade perceber esta mudança e oportunidade, agora disponível em sua Lan.

Para isso, a Dr. Micro estendeu a iniciativa da ATN (Associação Telecentro de Informação e Negócio) para a ABCID e assim a entrega dos cursos do Programa CAPAZ através do Juntos Podemos Mais.

Programa CAPAZ

Esta iniciativa trata-se de cursos de inclusão digital com uma ação transversal de educação ambiental, que conta com o apoio da Microsoft e que deve beneficiar este ano milhares de alunos, entre eles: Introdução a Informática, Windows, Internet e Digitação. Todos eles com certificado de conclusão que poderá ser impresso direto do site após as avaliações finais de cada curso.

Esta iniciativa, conhecida por CAPAZ Verde (mais informações em www.drmicro.com.br/capazverde) é de foco social e portanto somente é permitida a entrega destes cursos à comunidade sem custo, mas veja que sua participação como Lan neste programa pode ser o primeiro passo para que seu negócio ganhe visibilidade como centro de acesso à Educação. Sua Lan poderá cobrar apenas pelas horas de acesso aos computadores, ou se possível for, você mobilizar-se com horários especiais para inclusive as horas serem gratuitas. É a sua Lan House que começa a atuar em Educação enquanto ao mesmo tempo promove cidadania, educação ambiental e inclusão sócio-digital.

Desta forma comunicamos que o Programa CAPAZ já encontra-se disponível no Programa Juntos Podemos Mais e agora basta acessar o seu canal de parceiros, escolher o parceiro Dr Micro e encontrará o produto CAPAZ com valor GRATUITO para que possa gerar quantas inscrições necessitar e assim iniciar o atendimento de sua comunidade com esta ação social e inaugurar um novo negócio dentro de seu negócio: Educalan.

Sua Lan House ainda não encontra-se no Programa Juntos Podemos Mais? Inscreva-se: http://www.juntospodemosmais.org.br/associese.html

Para que possa ter um portal de entrega dos cursos foi colocado no ar o portal EducaLan para que seus alunos estudem com você através da chave de acesso ao curso e que poderá obter através do site do juntospodemosmais.org.br através do login e senha que você receberá ao fazer parte da iniciativa. Visite o site em www.educalan.com.br e conheça os cursos disponíveis que poderão fazer parte do dia a dia de sua Lan House.

Disponibilizamos também material de divulgação para que possa promover as inscrições dos cursos no hotsite do programa (www.drmicro.com.br/capazverde) e em nosso blog (http://blog.drmicro.com.br ).

Todos os alunos inscritos no programa CAPAZ ganharão durante o seu curso sua inscrição para criar seu currículo no portal vejameucurriculo.com.br/voce gratuitamente como forma de colaborar com a inserção ou recolocação deste aluno no mercado de trabalho.

Fale conosco através do atendimento on line. A equipe da Dr. Micro coloca-se à disposição para suas dúvidas e esclarecimentos através do chat, acessível no link abaixo:

Atenciosamente,

Jefferson Dousseau | Diretor Executivo
Fone 12 3949-2119
www.drmicro.com.br | dousseau@drmicro.com.br

Bate Papo com Lan Houses: Jefferson Dousseau, Diretor executivo da Dr. Micro, esteve presente e comentou sobre a importância das iniciativas para unir o setor

Dia 19 de agosto, aconteceu o último Bate Papo com Lan Houses em Belém-PA, o evento contou com a participação de lan houses de toda região, e empresas como VostuPag, Paymentez, Boa Compra, Itautec, Microsoft e CDI Lan.

Na edição anterior, que aconteceu no dia 30 de julho em Campinas, Jefferson Dousseau, diretor executivo da Dr. Micro, esteve presente e comentou sobre a importância de iniciativas com esta para unir o setor e debater assuntos em favor desse publico. Entre os temas, foram abordados o desempenho estratégico das lan houses após a aprovação do novo projeto de lei no congresso nacional, que regulamenta as lan houses como centros de inclusão digital, e outras formas de fortalecer o negócio aumentando a geração de renda.

O evento tem sido um sucesso em todas as edições, veja as próximas datas e locais que já foram confirmados:

17 de setembro – Florianópolis, SC
24 de setembro – Recife, PE
05 de outubro – Salvador, BA
15 de outubro – São Luis, MA
05 de novembro – Manaus, AM

Saiba mais, Bate Papo com Lan Houses: http://www.facebook.com/bplanhouses
http://bplanhouses.wordpress.com/

Regulamentação das lan houses

Mario Brandão

As lan houses cumprem importante papel na sociedade ao garantirem acesso à internet a quase 40 milhões brasileiros, entre os quais estão 74% de todos os brasileiros das classes D e E que acessam a rede. Segundo dados do Comitê Gestor da Internet (CGI.br), da população de 10 a 15 anos de idade, apenas 25% têm acesso à rede em suas escolas e, destes, 61% acessam a internet em lan houses.

Esses números comprovam que o papel de facilitador do processo de introdução de milhões de brasileiros de todas as faixas etárias ao uso da internet, com todos os benefícios a ele associados, é desempenhado pelos 108 mil proprietários de lan houses espalhados pelo Brasil. Os donos de lan houses, em geral, são nanoempresários atuando na economia informal. Não recebem nenhum tipo de suporte oficial para cumprir esse papel, o que limita sua atuação na introdução de seus clientes à utilização das ferramentas mais úteis na internet: redes sociais como ferramentas de empreendedorismo, e-mails como instrumento de empregabilidade, segunda via de taxas, tributos e contas de consumo, consultas a processos judiciais, emissão de certidões, acompanhamento de documentos oficiais, entre dezenas de outros serviços prestados hoje pela internet.

A tão ansiosamente aguardada regulamentação das lan houses, que passariam a ser oficialmente denominadas Centros de Inclusão Digital (CIDs), foi aprovada pela Câmara dos Deputados em 19 de abril e seria recebida com entusiasmo pelos proprietários de lan houses, não fossem as emendas apresentadas no último momento ao texto original.

Uma delas exige que os CIDs garantam acessibilidade a pessoas com deficiência, nos termos de regulamento próprio a ser posteriormente definido. Outra, a mais preocupante, manda que os CIDs cadastrem os usuários de seus equipamentos e sistemas com seus documentos de identidade. Não é preciso ser observador muito atento para concluir que as emendas propostas provocarão efeito contrário ao que pretendem produzir.

A exigência de garantias de acessibilidade, que, a exemplo de pretensões legislativas semelhantes, torna inviável a existência desse tipo de atividade em lugares onde é mais necessária – favelas, bolsões de pobreza e zonas rurais -, traz a empresários cujo faturamento médio bruto mensal é de R$ 3 mil a obrigação de investimentos incompatíveis com seus rendimentos.

Mas é na obrigatoriedade do cadastramento de usuários, que implica a exigência de documento de identidade válido, que mora o maior dano. Na população com idade entre 10 e 15 anos, apenas 2% possuem RG. Assim, sancionada a emenda, estarão alijados do acesso à internet cerca de 1,6 milhão de brasileiros que hoje utilizam as lan houses para fazer desde suas pesquisas para a escola até o simples digitar e impressão dos seus trabalhos escolares. Se considerarmos todo o universo de estudantes, de todas as idades, que hoje utilizam lan houses, mas não têm carteira de identidade, estariam excluídos 8 milhões de brasileirinhos das facilidades da internet.

A emenda de cadastro foi defendida sob a tese de que o anonimato potencializa ações ilícitas, mas os números do mesmo CGI.br não dão suporte a esse argumento: só 11,6% dos incidentes de segurança têm origem em lan houses, que são responsáveis por 45% do total dos acessos à rede. Explica-se: as lan houses são ambientes públicos, só isso é um eficiente fator de inibição de más práticas. Ninguém se sentiria confortável em tirar a roupa num ambiente público, tampouco veria imagens ilícitas com pessoas passando às suas costas ou sentadas ao seu lado.

Na falta de comprovação estatística, restaria para fundamentar as emendas apenas o preconceito dos que acreditam que, num ambiente em que três a cada quatro pessoas têm renda de até um salário mínimo, a rede seria usada por tais pessoas só para atividades ilícitas, criminosas ou moralmente inapropriadas.

A internet é um novo meio de comunicação. Os e-mails já substituem as cartas; o Skype e outras ferramentas de Voip já são mais atrativos como comunicadores de voz que o telefone tradicional. Teria sentido exigir a apresentação do RG para enviar uma carta ou usar o telefone público?

É isso que a emenda sugere ao usuário de internet. Condicionar o seu acesso ao porte de identidade, mas não para todos: somente para aqueles que dependem das lan houses de todo o País para ter acesso à internet – os mais pobres!

Ninguém considera razoável que se responsabilizem os Correios pela incapacidade de identificar o real remetente de uma correspondência, ou a companhia telefônica ao se receber um trote ou coisa pior. No entanto, essa incoerência jurídica, o cadastro, traz a responsabilidade civil sobre o que é feito nos espaços para os donos de lan houses.

Não entendemos fazer o cadastro de usuários como um problema. Somos contra a sua obrigatoriedade por meio de legislação federal. As emendas ao projeto original, portanto, precisam ser retiradas no Senado, ou no Executivo, pois põem em risco a consolidação de todo um longo e positivo processo de inclusão digital da população menos assistida.

Também está sob risco o fundamental trabalho de formalização das lan houses como prestadoras de serviços indispensáveis ao cidadão contemporâneo, nos rincões menos favorecidos pela atuação do Estado.

Temos, no setor, esperança de que o texto volte ao seu formato original. Tão ruim quanto aprová-lo nesses termos é não aprová-lo ou demorar a fazê-lo. Precisamos da regulamentação para que efetivamente possamos levar a internet a todos os brasileiros de maneira complementar e diversificada. Temos fé que o Brasil que precisamos construir, com oportunidades para todos, depende do êxito dos esforços de todos nós na democratização do acesso à informação.

Autor: Mario Brandão – Presidente da Associação Brasileira de CIDS (www.abcid.org.br), proprietário de lan house no RJ, administrador de empresas, e membro da Mensa Brasil.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,regulamentacao-das-lan-houses,726362,0.htm

Dr. Micro leva oportunidade para as lan houses

No último dia 16, o diretor executivo da Dr. Micro, Jefferson Dousseau, esteve presente no encontro de Lan Houses, em Manaus. O evento é uma iniciativa da AACID – Associação Amazonense de Centros de Inclusão Digital que reúne parceiros do setor e lan houses da região. A Associação, em prol das lan houses associadas, mantém convênios com o governo e este ano traz a educação como mais uma vertente de grande valor social.
Em sua visita, Jefferson Dousseau apresentou as soluções Dr. Micro como mais um beneficio as lan houses, uma forma de agregar valor à marca gerando fonte de renda e principalmente contribuindo para uma imagem mais positiva dos centros de inclusão digital, como disseminadora de educação à comunidade.
O evento resultou em parcerias, como Elite Sk Lan e Cyber, HotSpot Lan House e Cyber, NTech Cyber, Mr. Service e outros proprietários de lan houses participantes que já se tornaram clientes Dr. Micro.
Jefferson Dousseau, em nome da Dr. Micro, agradece a receptividade de todos, em especial do Sr. Wagno Oliveira, presidente da AACID, e do Sr. Léo Silva, Administração da AACID.
Para os centros de inclusão digital interessados em se tornar licenciado, basta entrar em contato pelo site www.drmicro.com.br ou pelo telefone (12) 3949-2119.
Abaixo, segue o link para fazer download do material de divulgação especial para lan houses:
www.drmicro.com.br/ftp/aacid.zip

Equipe Dr. Micro