Captação de alunos? Temos novidade no BoaBolsa!

BoaBolsa

No processo de captação de alunos existe grande impacto do sistema de remuneração dos vendedores no resultado das vendas, pois uma remuneração bem definida pode definir o sucesso ou o fracasso da ação, uma vez que pode estimular ou não a equipe, neste caso os embaixadores de sua escola.

Ao pensar em uma remuneração são 2 os desafios: Ganhos imediatos e recorrentes. Os ganhos imediatos podem estimular um maior esforço inicial na busca por novos alunos, já a remuneração recorrente é fator decisivo para manter a motivação a longo prazo e oferecer segurança ao embaixador de que ele pode adquirir uma maior estabilidade em seus ganhos, para cobrir períodos de baixa em matrículas (em função da sazonalidade natural do negócio) ou mesmo alguma necessidade pessoal que o afaste das atividades por algum tempo.

Diante disso, o BoaBolsa traz uma novidade: Remuneração inicial + remuneração recorrente, ambas personalizáveis por sua instituição.

Agora você pode! Escolha alguns produtos da loja e colocar um valor fixo de bonificação para os embaixadores para estes cursos, sejam eles cursos individuais, pacotes de cursos/disciplinas como normalmente ocorrem em Graduações, Pós e cursos técnicos e também em assinaturas recorrentes.

Antes, quando configurávamos uma loja no app do BoaBolsa, todos os produtos da loja tinham o mesmo percentual de bonificação pro app (por exemplo 20%). Podemos alterar esse percentual, mas o valor é pra todos os produtos da loja.

Assim, quando uma instituição de ensino fazia matricula por uma indicação de um usuário via BoaBolsa, mesmo sendo de um vestibular (com valor gratuito), quando este aluno realmente “matriculava-se” no curso todas as parcelas do curso seriam distribuídas para o usuário que indicou o aluno. E isso mesmo que cadastrasse novas parcelas no outro semestre, a comissão pro usuário se manteria (no caso deste exemplo acima, nos 20%)

Agora, a instituição poderá escolher um valor fixo pra destinar para o usuário e este valor será distribuído apenas 1 vez ao usuário que fez a indicação.

Para isso fizemos o seguinte: se a venda for de um curso que esteja configurado um valor fixo, este valor fixo irá sair da conta virtual da mantenedora, independente do valor pago na venda. Se foi configurado que neste produto a comissão será fixa de R$ 100,00 por exemplo, este valor sairá do saldo da mantenedora pra ser distribuído ao usuário que indicar, claro que este valor será repassado somente após o primeiro pagamento por parte do novo aluno e repassado somente após o número de dias que for informado na plataforma.

Assim a instituição ainda consegue configurar o prazo que ela deseja que este valor da bonificação seja transferido (pra evitar casos de chargeback e estornos de vendas). Por exemplo, é possível configurar que no curso X, será distribuído R$ 50,00 em 7 dias. Após 7 dias do pagamento, será cadastrado um split (divisão de pagamento) da mantenedora pro BoaBolsa e somente com a compensação deste primeiro pagamento, é que o pedido será enviado pro BoaBolsa como “Faturar”. Se a mantenedora não tiver saldo em sua conta virtual, esse ficará lá até que o saldo necessário para o repasse do valor configurado seja atingido.

Para aquelas instituições que usam nosso meio de pagamento, este controle fica automático e fácil de fazer a gestão como um todo do processo.

Aqueles que não usam (que seus alunos não tem boletos cadastros aqui), eles terão que fazer uma recarga manual, cadastrando um boleto para um aluno teste e pagando este. Se uma instituição possuir uma bonificação à distribuir por mais de 30 dias, e não efetuar o pagamento, a solução do BoaBolsa será inativada e os usuários não poderão mais efetuar novas indicações para evitar acumular compromissos de repasses aos usuários em atividade.

Importante: Para utilizar este recurso é necessário que a loja virtual esteja configurada para vender apenas 1 curso por vez, já que se fosse adicionado 2 ou mais cursos poderíamos ter sistemas de comissionamento diferentes e isso impediria aplicar este modelo. Se sua instituição desejar implementar este novo sistema de comissionamento, basta abrir um chamado solicitando a liberação que um de nossos consultores farão a respectiva liberação junto ao nosso TI.

Esta solução de remuneração inicial diferenciada + recorrente só será válida para matrículas feitas via Loja Virtual, para matrículas manuais ou por importação não se aplica este modelo, uma vez que o registro de quem indica é automático pela Loja Virtual.

Vamos a um exemplo:

Imagine que deseja essa configuração: no produto de vestibular e em todos os demais cursos/disciplinas que ela vender de rematrícula ela tem que colocar o valor fixo = 0 no BoaBolsa para não haver pagamento de comissões nas demais disciplinas e em suas rematrículas.

No curso da primeira matrícula de objeto de compra, ela configura com um valor que será distribuído (por exemplo R$ 50,00) Este valor será enviado pro app e distribuído normalmente nos níveis (60% quem indicou, 15% nível acima, 15% mais um nível acima e 10% para o BoaBolsa).

Se não for informado o valor à distribuir ou o valor 0 em todos os produtos desejados, o sistema irá adotar o percentual padrão da loja e portanto sob as mensalidades seguintes o sistema irá distribuir baseado no percentual da loja.

Confira a novidade em “Meus Produtos” / “Pacotes de cursos” e “Canal de Assinatura” dentro de “Loja Virtual 3.0” na aba “Boa Bolsa” na parte inferior.

 

 

O valor do marketing para escolas

Aplicar o marketing para escolas é a melhor maneira de atrair alunos. Também é a fórmula ideal para reter aqueles que já estão matriculados e reforçar a autoridade da instituição de ensino no mercado.

É importante lembrar que o segmento da educação tem uma característica peculiar. Ao contrário de lojas, comércios e serviços esporádicos, nele temos convivência. Em outras palavras, podemos dizer que o fator confiança é muito mais importante que em outros nichos.

No texto de hoje, mostrarei tudo que o marketing para escolas pode proporcionar e como aplicá-lo em seu cotidiano.

O marketing para escolas existe há muito tempo. Mas, antigamente, todos os esforços eram focados em materiais tradicionais como Outdoors, banners, panfletos. Até mesmo comerciais de TV e rádio, mas esse panorama mudou e hoje o grande filão para escolas é a internet.

O mundo digital oferece um vasto leque de oportunidades para chamar a atenção e proporcionar experiências memoráveis para os estudantes.

Temos, então, um conceito simplificado sobre o tema.

O marketing para escola consiste na aplicação de ações planejadas para obtenção de melhores resultados em uma instituição de ensino. Quem é dono de um colégio, por exemplo, sabe que as indicações são uma excelente fonte de aquisição, mas a verdade é que não dá para depender somente do boca a boca. É preciso ir além.

As ações de marketing digital permitem um maior alcance, engajamento e consequente número de matrículas. Isso gera uma melhoria significativa nas finanças. Tanto que, segundo a pesquisa EduTrends, nada menos que 81,3% das IEs investem em pelo menos uma ação de marketing online.

Os efeitos são nítidos. Tais organizações recebem oito vezes mais visitas em seus sites do que aquelas que não aplicam estratégias digitais.

Com isso, tem-se o tão almejado lucro.

Para 82,4% dos respondentes, o retorno sobre o investimento (ROI) das ações é positivo. Isso acontece principalmente por conta dos laços que são estreitados por meio do marketing educacional.

E é claro que uma boa prestação de serviços, estrutura de qualidade e professores capazes são elementos essenciais. Mas isso não é suficiente.

É preciso mostrar às pessoas todas os seus diferenciais e estreitar os laços com seus alunos e o marketing digital para escolas surge como a solução para organizações estagnadas que desejam evoluir.

Particularidade do marketing para escolas

Para aplicar o marketing para escolas, precisamos entender que ele tem suas particularidades.

Primeiro por conta da importância da educação para as pessoas e como esse é um dos componentes mais valiosos em suas vidas, há muito mais pesquisa do que em outros setores.

Quando consideram a escolha de uma instituição de ensino, passam horas em frente ao computador checando as possibilidades e conferindo a opinião de terceiros. É muito diferente, por exemplo, de uma decisão de compra de um item em uma loja virtual. Mas há mais.

Ao assinar um contrato com uma escola, ela passa a fazer parte da vida do contratante. É uma relação duradoura. Diferente de quando uma pessoa vai ao dentista, contrata um pintor ou leva o carro ao mecânico, o serviço é prestado e finalizado em questão de horas ou dias. Em escolas, por outro lado, é sabido que o relacionamento se prolongará por um bom tempo.

Para aproximar-se dos alunos, o meio digital é a melhor solução. Afinal, atualmente as pessoas passam a maior parte do tempo online.

Gostaria de chamar a atenção para mais uma peculiaridade do marketing para escolas: o público.

Enquanto a maior parte das empresas tem bem definido qual é o foco em questão de audiência, no setor da educação isso pode complicar um pouquinho. Isso porque o tomador de decisões pode tanto ser o aluno quanto seus pais e responsáveis e  muitas vezes a escolha é feita por ambos, mas esse é um fator que dificulta um pouco as ações de marketing.

Por conta disso, muitas vezes as atividades são planejadas levando em conta dois diferentes públicos.

Muitos donos e administradores de escola têm uma visão distorcida sobre o marketing, isso porque confundem o conceito com o da mera e simples publicidade. Embora os termos se relacionem, não são a mesma coisa. Enquanto o primeiro implica em investimento financeiro para alcance de resultados, o segundo se relaciona a qualquer tática utilizada para objetivos de negócios.

Acredite em mim quando digo que isso traz muitos benefícios não apenas para o colégio, mas também para os alunos. Com a satisfação dos estudantes, a empresa também ganha, ou seja, é uma relação mutuamente benéfica e não são poucos os elementos que comprovam isso.

O marketing para escolas permite que você multiplique as taxas de matrícula e rematrícula, para começo de conversa, e com mais alunos, há mais verba para investimentos em outros setores, como estrutura, tecnologia e professores. Mas as vantagens não param por aí.

Os estudantes que já fazem parte do corpo de alunos também têm muito a ganhar com o marketing digital.

O engajamento nas redes sociais, por exemplo. Ao criar uma estratégia elaborada nesses pontos de encontro digitais, certamente haverá uma maior taxa de fidelização. Informes, brincadeiras, novidades, imagens e vídeos de eventos… tudo isso gera interações valiosas para a IEs como negócio.

Até mesmo ações mais simples podem trazer bons resultados, como o envio de materiais de apoio e datas de eventos por meio do e-mail ou a atualização de status pelo blog. Até mesmo os links patrocinados exercem uma função de captação.

Por último, gostaria de citar o papel do marketing na internet como elemento de branding.

Como eu disse, nesse setor em especial há muito apreço pela confiança e ao utilizar os canais digitais para trazer informações úteis para o consumidor, a escola gera uma imagem positiva.

 

 

 

Jason Dousseau
Consultor Educacional

As escolas profissionalizantes estão fazendo tudo o que é possível para aumentar receitas?

A Escola Samatec, parceira da DRM e com muitos anos de experiência no ensino técnico, já possuía parceria com o BoaBolsa, porém amplia a parceria neste momento. Trata-se de uma inovação no mercado de ensino técnico a distância, e integra uma estratégia lançada pelo BoaBolsa para alavancar vendas nas escolas ao mesmo tempo em que amplia o acesso à educação contando com o apoio de Empreendedores Sociais na divulgação de oportunidades de bolsas de estudo da rede.

Como resultado, qualquer pessoa – aluno ou não das escolas afiliadas da Samatec, funcionário, dona de casa, etc – podem se tornar um empreendedor social, recebendo comissão de até 6% sobre o valor total do curso. Com isso a SAMATEC torna-se a primeira rede de escolas de ensino técnico no Brasil a oferecer um programa de afiliados com pagamento de comissões de forma recorrente sobre as mensalidades dos cursos, oferecidos com bolsas de estudo com o apoio dos Empreendedores Sociais, verdadeiros Embaixadores da Educação que através do aplicativo, levam bolsas de estudo para o mercado e ao mesmo tempo geram receita recorrente com esta atividade.

Conhecido como Programa de Afiliados, a novidade se espalha a cada dia mais na Educação, e este é um dos motivos de avaliar e incentivar a criação de redes de afiliados em marketing social, que garantem maior isonomia para a atuação de escolas nas mídias digitais, tornando mais justo o acesso as ofertas não inflacionadas pelo alto custo de propaganda, que não agregaria valor à educação, agora gera renda extra e bolsas de estudo.

O Boa Bolsa é o mais inovador programa em Marketing de Afiliados na educação da atualidade e conta com uma forma de publicidade on-line na qual o afiliado, denominado Embaixador da Educação e que atua como um Empreendedor Social, divulga cursos das instituições parceiras como a SAMATEC em troca de uma comissão e de bônus extras em pontos que podem ser convertidos em cursos gratuitos entre outros prêmios – que pode ser gerada por meio da divulgação de boas (notícias de valor agregado), por matrículas ao divulgar bolsas de estudo e ações específicas que geram pontos ao se completar missões dentro do aplicativo, além de outras formas de comissionamento como os ganhos sobre sua rede de indicados até o segundo nível de indicações.

A escola técnica São Mateus, desde o início de suas atividades educacionais e tecnológicas passou a atender o mercado de trabalho em todas as áreas, tais como indústrias Siderúrgicas, Químicas, Petróleo, Automobilísticas, Construção Civil, Eletrônicas, Eletrotécnica, Metalúrgicas, Alimentícia, Saúde, Portuárias, Segurança, Têxteis, com profissionais qualificados.

Após sua implantação e ao logo de sua trajetória, a escola técnica São Mateus vem se consolidando como um centro educacional técnico e tem trabalhado no sentido de atender às necessidades da Região, no nível médio de ensino, formação profissional de nível técnico, especialização em nível médio, oferecendo desde 2005, através da resolução de CEE/ES N° 1.192/2005: Curso técnico em Mecânica, Área profissional da Indústria e demais cursos técnicos como: Automação industrial, Edificações, Eletrotécnica, Eletrônica, Logística, Enfermagem e Segurança do trabalho; Especialização técnica de nível médio em enfermagem do trabalho; Ensino médio integrado: Mecânica, Eletrotécnica, Automação Industrial, Edificações e Meio Ambiente.

Todas as escolas da rede SAMATEC já estão automaticamente inscritas no programa, para a pessoa física participar, basta visitar um dos polos de ensino da rede e solicitar seu convite para se tornar um empreendedor social ou receber um convite de um amigo que já esteja participando do programa.